[Livro] Hannibal - A Origem do Mal - Thomas Herris (Especial Hannibal 8/9)


E chegamos à última resenha dessa série tão incrível. Mergulhei tão fundo no mundo de Hannibal que acabei sofrendo a maior ressaca literária da minha vida. 

Mas é isso que o Hannibal faz, não é? Ele, literalmente, come o cérebro das pessoas.

Sinopse: Hannibal Lecter é um menino como muitos: inteligente, gentil e extremamente carinhoso com a irmã, a pequena Mischa. Mas os horrores da Segunda Guerra Mundial farão deste inocente menino um dos personagens mais assustadores de toda a literatura. Vagando pela neve, Hannibal, de 8 anos, emerge de seu pesadelo. É mais um cambaleante sobrevivente de guerra. Está mudo e tem uma corrente em volta do pescoço. Em sua mente, a dolorosa imagem da morte dos pais, torturantes cenas de violência e apenas uma mera lembrança sobre o que pode ter acontecido a irmã. Por companhia, somente seus demônios. Levado de volta a sua casa na Lituânia, transformada agora em orfanato, sua tortura continua – física, nas mãos de revoltados meninos mais velhos e dos inescrupulosos administradores da instituição; e psicológica, vendo nas ruínas do castelo Lecter os restos de uma infância destruída – até o momento em que finalmente é encontrado pelo tio, um pintor renomado que o leva para a França, onde passará a conviver também com Lady Murasaki, sua bela e misteriosa esposa aristocrata. Com a ajuda desta nova família, Hannibal tentará reconstruir sua vida. Aos poucos, recobra a fala e refaz expectativas. Aluno brilhante, torna-se o mais jovem calouro de uma turma de medicina. Mas os demônios de Hannibal ainda o visitam e atormentam. E quanto tem idade suficiente, ele passa a retribuir as visitas. E descobre que sua ira unida a seus dons acadêmicos é a fórmula perfeita para um prodígio da morte.

Classificação:
Editora Record

Então você caminha entre as primeiras três obras dessa quadrilogia, observando um Hannibal frio e capaz de tudo para saciar sua "fome" de adrenalina e acaba diante desse final tão perfeito. (Ou início)

"A Origem do Mal" veio com uma, magnífica, explicação para o comportamento do aclamado Dr. Lecter e nos colocou em uma posição interessante.


Veja bem, ninguém aqui está defendendo um psicopata e seu comportamento, mas experimentamos a empatia por esse homem durante as três primeiras obras e agora, simplesmente deixamos a culpa de lado ao sentir essa cumplicidade. Como se finalmente nos rendêssemos aos seus motivos, que aqui podemos ver que foram bem fortes.

Eu não vou mentir, apesar de saber que Hannibal é um vilão (dos que não devemos querer por perto), torci por ele o tempo todo, porque apesar de sua maldade, foi mostrado a mim que existem maldades piores e mais... rudes.


A elegância de Hannibal vem de berço. Herdeiro de uma família muito rica e residente na Lituânia, quando criança, sofre as revoltantes investidas do exército alemão e vê sua família inteira dizimada por essa guerra.

Quase quatro anos depois de fugir com sua família para os bosques de sua propriedade, agora traumatizado por tantas perdas, é resgatado e levado para um orfanato que - pasmem - é seu antigo lar: Um castelo cheio de memórias felizes.


Hannibal começa, então a sofrer nas mãos dos outros garotos por ser mudo (o trauma o tornou mudo). Os funcionários do orfanato também não o respeitam e ninguém parece entender a dor que ele sente por voltar a viver ali, daquela forma tão ofensiva.

Ah, mas se tem uma coisa que esse livro nos dá, e dá com classe, é a tão aguardada VINGANÇA. Aqui ela vem adornada com requintes de crueldade e quer saber, eu achei é pouco.


"O rosto de Grutas estava coberto de sangue e penas. Ele voltou o rosto sangrento para as crianças e disse: — Ou comemos ou morremos. Esta foi a última lembrança consciente que Hannibal Lecter teve do pavilhão de caça".

O que Hannibal presencia em sua infância é tão doloroso que sua mente se fecha, até mesmo para ele. Suas lembranças são bloqueadas e a única coisa que ainda permanece é a certeza de que mataram sua irmã, Micha, mas não faz ideia de como isso foi feito e nem por quem. O trauma o faz ficar mudo e altera, completamente, sua visão do mundo.


"— O garotinho Hannibal morreu em 1945 lá na neve, tentando salvar sua irmã. Seu coração morreu com Mischa. O que ele é agora? Ainda não existe uma palavra para isto. Por falta de uma palavra melhor, o chamaremos de monstro".

Nesse volume, também acompanhamos o início da construção do tão falado "Palácio de Memórias" do Hannibal. Um lugar onde ele pode ir quando quer descansar ou se lembrar de algo. O lugar mais visitado por ele durante os anos todos de confinamento em sua cela. Mas como e quando ele começou essa construção é que faz a coisa toda ficar belíssima.

Seu pai foi o primeiro a perceber sua genialidade. Professores normais não supriam a necessidade de aprendizado do pequeno Hannibal, então um orientador melhor foi trazido para ensiná-lo e esse sim, conseguiu "ver" o tamanho da sua inteligência e ensinou táticas importantíssimas para Hannibal, uma delas, foi essa:

"— Você gostaria de se lembrar de tudo? — disse o Sr. Jakov. — Sim. — Lembrar nem sempre é uma bênção. — Eu gostaria de me lembrar de tudo. — Então você precisará de um palácio mental, para estocar as coisas nele. Um palácio na sua mente. — Tem de ser um palácio? — Vai crescer e ser enorme como um palácio — disse o Sr. Jakov".

E sabemos o quanto esse castelo cresceu mesmo. É tão grande que muitas vezes serve de arquivo para ele, sendo possível até mesmo fazer pesquisas em determinados cantos, escondidos em sua mente.

Esse é o último livro da série, que na verdade deveria ser o primeiro.

Se o escritor quisesse dar algo mais do Lecter para nós, seria um livro logo após esse é antes de "Dragão Vermelho", contando a história de como Hannibal conheceu Will Grahan. 

Essa lacuna é preenchida apenas pela série que trouxe, exatamente, esse período. Talvez seja por isso que ela sempre será a minha preferida das duas adaptações. (E eu sei que vocês já estão cansados de ler isso!).


Esse livro é o mais cansativo da série, mas não cai em qualidade momento algum. Mesmo chegando a essa conclusão ouso dizer que é o mais profundo dos livros. É o volume em que mais tivemos HANNIBAL e que mais espiamos dentro de sua mente complexa.

Então depois de anos vivendo no castelo que um dia foi de sua família, Hannibal é encontrado por um tio (irmão do pai) e levado para viver na França. Lá ele conhece a esposa desse tio e ela é sua primeira "obsessão".


Lady Murasaki é bela e enigmática. Hannibal fica encantado por ela e esse sentimento o fará cometer seu primeiro assassinato. Ato que nos coloca novamente naquela posição de apoiar Hannibal. Ele apenas fez o que TODOS nós gostaríamos de ter feito! 

É a primeira vez que ele entra em contato com a lei também. O inspetor Popil logo percebe que há algo errado com Hannibal e passa a persegui-lo.

"— Como se sente ao vê-lo morto? — perguntou o investigador.Hannibal olhou debaixo da toalha que cobria o pescoço. — Indiferente — disse".

Novamente temos vilões, além do próprio Hannibal, mas aqui eles interferem diretamente com a vida desse rapaz e o transformam completamente. Bem, eles pagam um preço bem alto pela ousadia de atravessar o caminho do pequeno Lecter.


Por fim, esse é um livro que vale a pena ser lido para colher explicações e para viver as vinganças tão merecidas que alteraram o tipo de ser que Hannibal se tornou.

Ou será que ele viria a ser esse monstro de qualquer forma? O que vocês acham?


Um comentário

  1. Ainda me falta ler esse livro, Camila, mas, pelo que sei até agora, o Hannibal não é exatamente um psicopata. Creio que, sem a barra pesadíssima da infância, ele não teria se tornado esse monstro não catalogado. Beijos!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...