Uma carta de amor maluca, como as melhores pessoas devem ser!


É bem fácil conhecer Lewis Carrol. Basta ler sua valiosa obra chamada ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS e você terá, sem sombra de dúvidas, uma exata noção de quem foi esse homem, gênio, complicado e talentoso.

Lewis teve uma amiga em sua vida, chamada Gertrude Ghataway a qual dedicou um poema (A caça ao Snark) e que alimentou essa amizade desde os 9 anos até a vida adulta. Isso parece encantador para você?

Então dê uma olhadinha na carta que Lewis escreveu para Gertrude logo que ela morreu e tenha certeza de quem ele realmente foi:

"Minha querida Gertrude, você vai ficar admirada, surpresa, desolada ao saber que terrível indisposição eu senti quando você partiu. Mandei chamar um médico e lhe disse: ‘Dê-me um remédio contra o cansaço porque eu estou cansado’. Ele me respondeu: ‘Nunca! Você não precisa de remédio! Se você está cansado, vá para a cama!’ ‘Não’, repliquei, ‘não se trata desse tipo de cansaço que passa quando se deita. Eu estou cansado no rosto.’ 
Ele ficou muito sério e depois disse: ‘Sim, estou vendo, é seu nariz que está cansado; e isso acontece por que você mete o nariz em tudo’. E eu respondi: ‘Não, não é bem o nariz. Talvez tenha sido um gole de ar’. Então ele fez uma expressão de espanto e disse: ‘Agora estou entendendo: naturalmente você tocou muitas árias em seu piano’. ‘De forma nenhuma, protestei. Nada de árias, mas de alguma coisa que fica entre o meu nariz e o meu queixo’. Aí ele ficou muito sério e perguntou: ‘Ultimamente você tem andado muito com seu queixo?’ Eu disse: ‘Não’. ‘Bem!’ disse ele, ‘isso me preocupa muito. 
Não sente alguma coisa nos lábios? ‘Claro!’ exclamei. É exatamente isso que eu sinto!’ Então ele ficou mais sério do que nunca e disse: ‘Acho que você andou dando muitos beijos’. ‘Bem’, respondi, ‘na verdade eu dei um beijo numa menininha que é muito minha amiga.’ ‘Pense bem’. disse ele, ‘você tem certeza de que foi somente um?’ Eu pensei bem e disse: ‘Talvez tenham sido onze’. Então o doutor respondeu: ‘Você não deve dar nenhum beijo até que seus lábios tenham descansado bastante’. ‘Mas o que devo fazer’, repliquei, ‘se ainda estou devendo a ela cento e oitenta e dois beijos?’ 
Nessa hora ele ficou tão triste, mas tão triste, que as lágrimas começaram a rolar em seu rosto. E ele disse: ‘Você pode enviálos numa caixa’. Então eu me lembrei de uma pequena caixa que eu havia comprado em Dover, pensando em poder um dia oferecê-la a uma menininha. Por isso é que eu lhe envio essa caixa depois de ter colocado nela todos os meus beijos. Diga-me se eles chegaram bem, ou se algum se perdeu pelo caminho.”



Não é adorável? É muito Lewis Carrol essa carta.


Excelente final de semana! \0/

14 comentários

  1. oi Camis,

    adorei a caixa cheia de beijos,
    adoraria receber uma...

    beijinhos(uma caixa cheia)

    ResponderExcluir
  2. Maneira mais original de dizer a saudade e a vontade de estar junto, não haveria.

    Gostei de ler isso logo pela manhã. Quem sabe terá um quê de loucura romântica, né?

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Que lindo! Não conhecia, Camila. E quando vem a resenha dO Apanhador? Aguardo ansiosamente. :) Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahaha vc é suja, Carla!
      Essa resenha será inexistente aqui nesse Blog. Não vale a pena! haha

      Excluir
  4. Simplesmente belo querida amiga Camila ,beijinhos

    ResponderExcluir
  5. OI Camilete, Não conhecia esse texto/carta... Muito legal e essa caixa de beijos então?? Mentes geniais, essas dos escritores.

    bjão de saudade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mentes geniais mesmo! Por isso amo leitura! :)

      Excluir
  6. Ai que demais Camila, preciso roubartilhar, rsrsrs beijinhosss!!!

    ResponderExcluir
  7. Uma carta movida por sentimentos e reveladora de desejos ocultos. Uma autêntica carta de amor.
    Adorei!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...