Você come qualquer coisa?

Na faculdade havia uma época cheia de palestras e chamava-se "A semana da Biologia", assim como para todos os outros cursos. Acontecia geralmente em outubro se não me engano e era um deleite para os alunos.
Grandes nomes da região ministravam cursos práticos e aulas fantásticas para quem tivesse interesse. Eu sempre fui para o lado da ZOOLOGIA, sempre me chamou muito a atenção e em um determinado ano vi que um nutricionista faria uma palestra na nossa semana! Achei interessante porque não era uma coisa que estudávamos muito, geralmente falávamos sobre alimentação nas aulas de anatomia, mas ou imunologia, mas nada muito aprofundado. Então fiz minha inscrição e fui!
 
Não era uma aula normal, vi logo de cara. No inicio da noite fomos levados a uma sala para assistir um vídeo chamado A CARNE É FRACA. Confesso que depois desse vídeo não me lembro de nada mais que se passou com aquele professor! Foi algo me marcou profundamente e até hoje me lembro dele.
Era um documentário na verdade, que mostrava como eram feitos os abetes de animais (clandestinos obvio) que serviam para nossa alimentação. O absurdo que faziam com vacas e porcos para facilitar a retirada da carne. Como eram criados bezerros que serviriam para o abate logo cedo (sabe? Aquela carne gostosa chamada BABY?), a maneira como eram escolhidos pintinhos e por aí vai.
 
Não, eu não suportei ver até o final. Uma longa hora desse documentário foi necessário para me fazer parar de comer carne. Eu sei que existem frigoríficos corretos e conheço Zootecnistas (uma delas é a Carol que já escreveu aqui) que levam a sério a dignidade dos animais nessa hora, mas não achei justo esses animais terem que morrer para me alimentar. Eu realmente tenho outras opções.
 
Então foram longos quatro meses apenas dessa forma, eu não comia carne, não por achar ruim o gosto, eu até queria comer, o cheiro me atraia, mas por me senti horrível ao comê-la, por me sentir mal pelos animais. Por lembrar-me dos animais que tanto amo ao ver o prato na mesa. Mas como toda boa família brasileira minha cara é estritamente carnívora e não tive forças para continuar com isso. Foi gradual na alimentação a minha volta, primeira presunto, depois os peixes e por aí vai...
 
Voltei a comer carne, mas nunca mais como antes. Não esqueci o que vi e isso me fez ver os alimentos de outra maneira. Hoje prefiro comer outras coisas e dispenso a carne sempre que posso, mas penso que foi uma grande evolução a minha, mesmo fraquejando em dar continuidade. Como disse a Betty do blog Gosto Disto com certeza isso é uma evolução e acredito que cada dia mais pessoas serão adeptas ao vegetarianismo.
Eu apoio os vegetarianos e desejo ser uma um dia. Até lá faço o possível para mudar meu cardápio até não precisar mais ter na consciência que alguém teve que morrer para me alimentar!

15 comentários

  1. Eu entendo perfeitamente. Um dia comi um tal de carneiro. Ai me veio na cabeça o carneiro do Pequeno Príncipe. Passei mal uma semana. E sabe que depois disso até outros tipos de carne não me apetecem mais. Como, mas não como antes.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puto, mas carneiro tem um gosto forte demais. Não consigo comer de jeito nenhum.

      Excluir
  2. Oie!
    já que me citou não podia deixar de dar minha opinião. Fazer o curso de zootecnia nao foi nada fácil no inicio e muito menos me adaptar a trabalhar em frigorificos. Infelizmente para atender a demanda de comida e subprodutos dos animais no mundo precisamos aperfeiçoar a produçao animal e isso muitas vezes quer dizer ultrapassar os limites da etica - o que sou contra!
    Respeito os vegetarianos, respeito toda opinião bem formada. Porem a GRANDE maioria dos vegetarianos não faz ideia que a carne que ele nao come é só uma das coisas que um boi rende num frigorifico. Eles esquecem que de um boi tambem sai couro, principios ativos para cosmeticos e medicamentos, pincel,gelatina,pigmento,cola,fibras e muitas outras coisas que todos usam no dia a dia. Então, admiro os vegetarianos que sabem disso e defendem a causa com propriedade. Esses sim merecem respeito, concorda? bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Carol. E um dia me tornarei uma dessas. Mas é dificil hein!!! Imagina nunca mais comer um big mac????? Kkkkk

      Excluir
    2. jamaisssssss! kkkkkkk

      Excluir
  3. OI Camila,
    Obrigada por ter me citado aqui. Vc está no caminho certo! Eu tb voltei a comer carne por um tempo e hj não passo nem perto. Acho difícil alguém virar vegetariano da noite para o dia. Todos os vegetarianos que se mantem no vegetarianismo vão ganhando consciência aos poucos e aos poucos vão deixando de lado a carne para nunca mais voltar.
    Não assisti a este filme, não tive coragem, mas dizem que de os abatedouros tivessem paredes de vidro, ninguém comeria carne.
    xoxo

    Gosto disto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto que é isso mesmo Betty , acredito que quando eu conseguir abandonar a carne de vez nao voltarei jamais. Tb acho que é uma forma de evolução!!!!

      Excluir
  4. Olá Camila,
    A alimentação hoje em dia está bastante complicada e devo dizer que passei pelo mesmo processo que você descreveu no texto. De fato hoje também como muito menos carne e pretendo um dia chegar na condição de vegetariano. Mas não é nada fácil!

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
  5. Outro dia eu fui na horta arrancar uma cenoura pra comer e ví um coelho que estava por alí. Na hora que o coelho me viu ele saiu correndo e eu nunca mais o ví, mas a cenoura não conseguiu correr e eu tive que arranca-la na marra da terra, quebrando suas raíses sem anestesia e matando-a para encher o meu bucho!

    Acho que é por isso que eu como carne... Ela pelo menos as vezes foge da gente!

    ResponderExcluir
  6. Camila, eu já tive o desprazer de assistir ao abate de bois em matadouros clandestinos e é algo deplorável, melhor nem descrever o sofrimento destes animais. Aliás, qualquer animal abatido desta forma é algo terrível de se ver.

    A minha ingestão de carne (bovina, suína e peixes) diminuiu bastante há alguns anos - também por conta de ter visto como essa carne chega até os balcões do açougue. Não sei se eu vou me tornar vegetariano ou algo parecido, mas é verdade que temos outras tantas opções. Alimentação saudável hoje parece um desafio, pois se a pessoa resolve mandar uma salada os vegetais estão lotados de agrotóxicos - a não ser os orgânicos, mais caros e nem sempre fáceis de serem encontrados. E nem pensar nestes alimentos processados, principalmente aqueles que possuem um tal "glutamato monossódico", um verdadeiro veneno.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. você é uma pessoa muito impressionada parou de comer carne por causa de um documentário,se aquilo acontecia em um abatedouro clandestino é só verificar a origem do lugar que vem a sua carne,o documentário conseguiu cumprir o seu propósito então te fez sentir mal por comer carne,você é fraca emocionalmente falando

    você não pode amar os animais que você não conhece e você não conhece os animais que você comia antes de parar de comer carne

    se for pelo fato de morrer você não deve comer alguns alimentos de origem vegetal,que a planta é morta depois da colheita,não deve usar nada feito de madeira já que as árvores são cortadas e morrem e nem usar papel

    ResponderExcluir
  8. http://edsonjnovaes.wordpress.com/2014/08/14/vegano-na-marra/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...