Personagem de Halloween - Caronte, o barqueiro do inferno

Esse ano não será um conto! Falarei sobre um personagem que tem a cara do Halloween e que eu gosto muito por ser de uma cultura Grega. Espero que gostem!



Na antiga Grécia existia um rio chamado Aqueronte, cujas águas turbulentas, negras e salobras delimitavam a região do inferno.



Infelizmente todos que morriam precisavam passar por esse rio para chegar ao mundo subterrâneo caso contrário ficaria vagando pela Terra o que era muito doloroso para qualquer alma. Por conta das águas traiçoeiras, ninguém se atrevia a atravessar o rio sem auxilio e para isso existia uma figura lendária da mitologia que fascina até hoje por sua personalidade sombria.



Caronte era seu nome, um barqueiro velho e esquálido, mas forte e vigoroso, que tinha como função ajudar as ala nessa travessia para o outro lado do rio. Porém, só transportava as que haviam recebido o devido sepultamento e ainda cobrava pela travessia, daí o costume de se colocar duas moedas de ouro cobrindo os olhos dos defuntos.



O barqueiro do inferno - como era chamado - recebia em seu barco pessoas de todas as espécies, heróis magnânimos, jovens e virgens, tão numerosos quanto às folhas do outono ou os bandos de ave que voam para o sul quando se aproxima o inverno. O velho não parava nunca e ainda sobravam almas aos montes na margem do rio implorando pela travessia. Todos se aglomeravam querendo passar, ansiosos por chegarem à margem oposta, mas o severo barqueiro somente levava aqueles do qual ele escolhia, empurrando o restante para trás. Ele precisava ser severo, não dava desconto e não fazia fiado, ali era questão de morte apenas.



O velho Caronte sempre irredutível concordava apenas com o embarque das almas para as quais os vivos haviam celebrado as devidas cerimônias fúnebres, enquanto as demais, não podiam atravessar o rio, pois estavam condenadas a vagar pela margem do Aqueronte durante cem anos, para cima e para baixo, até que depois de decorrido esse tempo elas finalmente pudessem ser levadas, mas isso ainda assim dependia da bondade do velho, o que não lhe era peculiar.


Então a grande questão hoje é: E se de fato existir um barqueiro que nos leva para o outro lado, você irá arriscar ser sepultado sem as malditas moedas?

19 comentários

  1. Oi Camila, se existir mesmo um barqueiro ele deverá ser generoso e nos levar ao lugar merecido por cada um, sem moedas por favor! rs

    Gosto de mitologia e tua blogada foi ótima!
    Eu te sigo há muito, mas agente nunca mais se falou, achu que vc nem se lembra mais de mim rsss. Mas eu vi tua atualização na minha página, gostei e vim ler.

    beijão
    Lu C.

    ResponderExcluir

  2. Oi Camila,

    Pobre e miserável então não tinham vez com este barqueiro. Logo se vê que ele está mais pro inferno do que pro céu (rsrsrs).
    Gostei de ler.
    Bjoka.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Vera! Vc captou perfeitamente a ideia! As almas preferiam ir pro inferno do que ficar vagando por aqui por 100 anos! Ja imaginou? Kkk

      Excluir
  3. Camila, óia eu aqui traveis kkkkkk

    Já que o tema é halloween, passa no meu blog o Escritos na Memória, que tem um textinho sobre a danada da abóbora!

    bacios lindeza
    :)

    ResponderExcluir
  4. Eu conhecia esta figura mitológica e gostei muito do modo como narrou. Parabéns pelo post e Happy Halloween!
    Quanto a sua pergunta, se eu tivesse certeza mesmo que houvesse este barqueiro, eu preferia vagar os cem anos por aqui.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  5. Bem, moedas de ouro hoje são dificeis de conseguir e acho pouco provável que o bom e velho Caronte aceite moedas de Real.
    Vamos ser enterrados com o cartão de débito no bolso e torcer para que o macabro barqueiro tenha a maquininha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha espero que no inferno tenha CIELO!!!!!! Se bem que acho que lá deve fer mesmo! Kkkk
      será que o velho evoluiu? Kkkkk

      Excluir
  6. Caronte não me deixaria entrar nem que eu pagasse, Camila. Meu nome é Ceres, o mesmo nome da sogra do deus dos infernos. :) Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Cem anos é tempo demais pra uma alma vagar á beira de um rio, né não? Se bem que as almas tem a eternidade, então elas se sentam à margem a tentar o velho Caronte,até, quem sabe, convencê-lo...

    Eu achei bem massa ler isso. Quero não encontrar Caronte tão cedo.

    Beijo, Camila!

    ResponderExcluir
  8. Oi Camila querida

    Adorei a postagem...


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  9. Olá Camila

    Há anos atrás, quando fiz o 2º grau, na época havia o magistério, o científico e o clássico. Eu escolhi o clássico e uma das matérias era a língua Grega, gramática e literatura. Aprendi coisas que nunca havia imaginado, mas não conhecia esta lenda. Gostei muito.

    AMIGA DA MODA by Kinha

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Camilinha

    AMIGA DA MODA by Kinha

    ResponderExcluir
  11. deu pra arrepia... esse conto é sinistro

    ResponderExcluir
  12. pow ve como ........ coloca isso ai...

    ResponderExcluir
  13. Na verdade as devidas celebraçoes ou ritos funerarios era cremer o corpo.. caronte só atravessava quem estivesse levando consigo as moedas de ouro e tivesse sido cremado, na mitologia grega corpos não eram enterrados e sim cremados ;) massa o texto :D

    ResponderExcluir
  14. A guerra entre o bem e o mal existe está bem diante de nossos olhos ai fora bem do teu lado as ações é o que importa é o pagamento do caronte na verdade vou dizer " fazer o bem e não importando pra quem " esta é a verdadeira moeda do pagamente , boa sorte a todos nos .

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...